segunda-feira, 2 de março de 2015

A Biblioteca de Alexandria Parte 2

          Apresentamos a segunda parte do resumo do livro Biblioteca de Alexandria: as histórias da maior biblioteca da Antiguidade, de Derek Adie Flower.

          O livro está disponível no acervo da Biblioteca da EACH em: 027.00932 F644b 2.ed.



Parte 2: A Biblioteca de Alexandria

Vestígios arqueológicos da Biblioteca e Museu nunca foram encontrados. Sabe-se que, fazendo parte do conjunto real, deveriam ser grandes e luxuosos. O Museu foi concebido nos moldes do Liceu de Aristóteles, e seus funcionários gozavam de regalias tais como: acomodações agradáveis, altos salários e isenção de impostos. A Biblioteca foi formada a partir da aquisição de coleções já existentes, cópias de materiais emprestados ou subtraídos. Os livros de barco eram famosos: Ao aportar, o barco era revistado e seus livros compulsoriamente emprestados para que fossem copiados na biblioteca. Era prática comum manter o original e devolver uma cópia ao verdadeiro proprietário do material. Os primeiros bibliotecários foram poetas: Zenódoto de Éfeso, seguido por Calímaco, nascido em 305 a.C. Estima-se que somente Calímaco catalogou em torno de 500.000 papiros e códices em Pinakes (Lâminas) que era um conjunto de 120 livros. Eram listados por ordem cronológica, autor e palavra-chave. O terceiro chefe da Biblioteca foi Erastóstenes, com apenas 31 anos de idade. Ele era poeta, filósofo, filólogo, matemático, astrônomo, geógrafo, crítico literário, gramático e inventor. Também foi constituída uma Biblioteca Filha, a Biblioteca Serapeum.


Analúcia Recine


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário