segunda-feira, 3 de junho de 2013

RESUMOS: Algumas regras gerais; coerência e coesão



Encerrando, por hora, nossa série de dicas sobre os resumos, hoje vamos falar um pouco sobre regras gerais, que não citamos anteriormente, e sobre coerência e coesão nos resumos.

A ABNT descreve regras gerais para confecção de resumos e vamos indicar algumas aqui.
Os resumos de trabalhos acadêmicos de conclusão devem ter entre 150 e 500 caracteres, devendo-se evitar símbolos e contrações, enquanto diagramas, equações e fórmulas devem ser usadas somente quando forem imprescindíveis (realmente em último caso). É importante pontuar que, ao longo desses caracteres, é fundamental ressaltar o objetivo, os métodos, os resultados e conclusões do documento principal.
Como o resumo é extrato de um texto principal, sendo este coerente já se tem metade do caminho para que o resumo também o seja. Longe de definir um conceito, podemos entender por coerência a possibilidade de produzir um sentido comunicativo no texto, e uma das ferramentas para haver sucesso comunicativo é a coesão (KOCK; TRAVAGLIA, 2008).
A coesão é obtida a partir dos seguintes mecanismos: referência, substituição, elipse, conjunção, coesão lexical (KOCK, 2008). Tais mecanismos devem ser pensados e aplicados a partir do texto principal, ou seja, ao invés de sintetizar objetivo, métodos, resultados e conclusões e justapor estas frases, é preciso revelar tais elementos do trabalho lançando mãos dos mecanismos de coesão acima mencionados.
Indico dois livros básicos sobre coesão e coerência, que podem dar grande ajuda para a produção de qualquer texto, inclusive de resumos (e demais trabalhos acadêmicos): A coerência textual, de Travaglia e Kock; e A coesão textual, de Kock.

Sidinei Damasceno Basil

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6028:2003 Informação e documentação: Resumo – Apresentação. Rio de Janeiro, 2003.

Koch, Ingedore Grunfeld Villaça. Castilho, Ataliba Teixeira de (coord). A coesão textual.   20.ed.  São Paulo, Contexto, 2005. 84 p.

Koch, Ingedore Grunfeld Villaça. Travaglia, Luiz Carlos. A coerência textual. 17. ed.  São Paulo, Contexto, 2008. 118 p

Um comentário:

  1. Olá!! encanta-me seu blog quisesse afiliarlo em meus sites e você enlaça ao mio, se aceita me responde com uma mensagem a emitacat@gmail.com
    beijos!!

    Emilia

    ResponderExcluir